, e

junho/2012 | Notícias

Sustentabilidade para todos

Rio+20 busca colaboração da população mundial e dos governos

O logotipo da Rio+20

Ocorreu entre os dias 13 e 22 de junho, no Rio de Janeiro, a Rio+20, a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável. Conhecida assim por marcar os vinte anos da iniciativa inicial sobre o meio ambiente, a Rio-92, o evento deverá nortear a questão do desenvolvimento sustentável nas próximas décadas.

Essa proposta brasileira de sediar a Rio+20, aprovada pela Assembléia Geral das Nações Unidas em 2009, tem como objetivo renovar o compromisso político com o desenvolvimento sustentável, trazendo ao Brasil os presidentes de diversos países, bem como palestras e reuniões  importantes para a decisão do nosso futuro. Além disso, a conferência trouxe à tona dois principais temas: a economia verde no contexto do desenvolvimento sustentável e da erradicação da pobreza; e a estrutura institucional para o desenvolvimento sustentável.

A Rio+20 ocorreu em três momentos: nos primeiros dias de evento, 13 a 15 de junho, aconteceu a III Reunião do Comitê preparatório. Nessa reunião estavam os representantes governamentais para negociações dos documentos a serem adotados na Conferência. Do dia 16 ao dia 19, estavam previstos os Diálogos para o Desenvolvimento Sustentável e, do dia 20 ao 22 de junho, o Segmento de Alto Nível da Conferência trouxe diversos Chefes de Estado e de Governo dos países das Nações Unidas.

Apesar de ser virada totalmente para uma causa de responsabilidade social, a Rio+20 apresentou tanto pontos positivos, quanto  negativos. Há elementos bons, como o fato de ter chamado a atenção da população para essa questão de sustentabilidade, ou até mesmo ter incentivado alguns protestos importantes, trazendo a eles maior visibilidade.

Para Marina Xavier Rafainer, 22 anos, o evento trouxe muitas oportunidades de comércio e também turismo para o Rio de Janeiro. “A cidade está lotada! Houve um grande incentivo para eventos culturais e exposições!”, diz a estudante de Publicidade e Propaganda. Porém, em contraponto, a jovem moradora da maravilhosa cidade carioca critica: “Achei algumas situações negativas, como o próprio conteúdo da Rio+20, que ficou muito fraco e superficial. Principalmente pelo fato de envolver muitos países em crise, seria importante que todos eles entrassem em um acordo.”

Nos sites de redes sociais foi possível perceber diversas opiniões negativas a respeito da Conferência. Um exemplo disso foi a crítica aos preços dos restaurantes de dentro do evento, que eram muito caros. Restaurantes populares que ficavam perto de onde tudo ocorria foram fechados pela polícia e pela prefeitura sem nenhuma explicação do porquê e, com isso, jovens criticaram a vantagem que estava sendo dada às empresas vendedoras de comidas e bebidas dentro da Rio+20.

Ainda em contraponto, Marina diz que acabou atrapalhando muito o trânsito da cidade, com as caravanas de políticos e as passeatas. “Ontem eu fui ao centro e quase não consegui voltar! Havia uma passeata bloqueando a rua, então os ônibus não passavam, o metrô estava lotado, com fila para passar na roleta. Além, é claro, de, no fim da passeata, ter ficado para trás uma sujeira absurda!”, diz a menina. “Para completar, os funcionários da Comlurb (garis) limparam a rua com jato d’água, o que acaba não sendo sustentável”, acrescenta. Apesar dos contrapontos, há torcida para que a conferência possa resultar em soluções sustentáveis para o nosso futuro.

Veja mais em 

Encontre um conteúdo do seu interesse

Utilize o campo abaixo para buscar por palavras-chave.

Pin It on Pinterest

Compartilhe!