, e

maio/2014 | Notícias

Sebastião Salgado: a origem deste mundo

Exposição retrata as cinco visões do fotógrafo sobre a diversidade do planeta

Texto de apresentação da curadora Lélia Wanick na Usina do Gasômetro. Foto: Nina Stober.

Fotógrafo independente desde 1973 e reconhecido internacionalmente por seus trabalhos fotojornalísticos e comunitários, Sebastião Salgado traz a Porto Alegre no início deste ano sua nova exposição: Gênesis. Esse novo projeto retrata cinco biomas que demonstram povos isolados e paisagens fantásticas ainda intocadas pela atual contemporaneidade. “Gênesis representa uma convocação para uma luta”, afirma Salgado ao abordar a preservação ambiental e social em seu texto de apresentação da mostra.

A inauguração ocorreu no dia 13 de março, trazendo Sebastião e Lélia Wanick Salgado, esposa e curadora do fotógrafo, para a exposição e também para a Aula Magna na Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), ocorrida no dia seguinte a abertura da mostra. O fotógrafo mineiro descreveu, aos alunos, sua carreira pessoal e profissional, passando seus valores, crenças e, igualmente, seu amor pela fotografia e sua importância social. “[Salgado] Falou da formação dele na França, em economia, e nos deu a dica: se queremos saber fotografar, devemos estudar história, geografia, economia, para entender o mundo”, disse a aluna de jornalismo Carolina Trindade, que compareceu à palestra do profissional. “A palestra foi genial, muito do que ele falou eu posso levar para várias áreas do jornalismo, não só as que envolvem fotografia. Tinha muitas expectativas e a palestra dele cobriu todas”, completa.

A mostra fotográfica Gênesis foi inaugurada em Londres – de 2004 a 2012. Esteve no Brasil primeiramente na cidade do Rio de Janeiro, percorrendo outros estados e sendo finalizada em Belo Horizonte, Minas Gerais. O trabalho constitui uma jornada em busca do planeta que já existiu, as belezas ocultas e os povos que vivem de maneira isolada da globalização. Após uma viagem de quase dez anos por diversos lugares do mundo, o artista destaca a importância da preservação dessas regiões e das belezas nelas escondidas. A exposição é dividida em: Sul do Planeta, Santuários, Amazônia e Pantanal, África e Terras do Norte. Gênesis esteve em exposição no 7º FestFoto – Festival Internacional de Fotografia de Porto Alegre – de 13 de março à 12 de maio, na Usina do Gasômetro (Avenida João Goulart, 551).

 Trajetória do fotógrafo

Produziu a primeira sessão de fotos com Lélia Wanick Salgado, sua esposa, e tornou-se independente em 1973. Seu primeiro livro, Outras Américas, sobre as comunidades carentes da América Latina, foi publicado em 1986. Logo após, publicou Sahel: O “Homem em Pânico”, resultado de uma colaboração de 12 meses com a ONG Médicos sem Fronteiras, cobrindo a seca no Norte da África. Entre 1986 e 1992, documentou o trabalho manual em todo o mundo, publicado e exibido sob o nome “Trabalhadores rurais”, projeto que consolidou sua reputação como foto documentarista. De 1993 a 1999, interessou-se sobre o fenômeno global de desalojamento em massa de pessoas, que resultou em Êxodos e Retratos de Crianças do Êxodo, publicados em 2000 e reconhecidos internacionalmente.

Obras do artista:

  • Trabalhadores (1996)
  • Terra (1997)
  • Serra Pelada (1999)
  • Outras Américas (1999)
  • Retratos de Crianças do Êxodo (2000)
  • Êxodos (2000)
  • O Fim do Pólio (2003)
  • Um Incerto Estado de Graça (2004)
  • O Berço da Desigualdade (2005)
  • África (2007)
  • Gênesis (2013)

Veja mais em 

Instagram: do 0 ao boom!

Instagram: do 0 ao boom!

Ter sucesso no Instagram é o desejo de muitas marcas, empresas e pessoas. Para isso acontecer...

Encontre um conteúdo do seu interesse

Utilize o campo abaixo para buscar por palavras-chave.

Pin It on Pinterest

Compartilhe!