e

junho/2012 | Notícias

PUCRS lança Instituto do Cérebro

Inaugurado no dia 6 de junho, o Instituto do Cérebro (InsCer/RS), da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (PUCRS), tem como finalidade ajudar as pesquisas na cura de doenças neurodegenerativas e nas lesões cerebrais. Através de parcerias com o Ministério da Saúde e a União Brasileira de Educação e Assistência, o InsCer/RS conseguiu a verba necessária para que hoje tenha mais de 60 funcionários capacitados para atender a população. Localizado na frente do hospital São Lucas, pretende funcionar 24 horas.

No final da década de 90, a Universidade criou o Instituto de Pesquisas Biomédicas (IPB), iniciando sua inserção. A Neurociência Clínica foi uma das áreas da medicina que se desenvolveram a partir Instituto. Os avanços do IPB foram constantes através do aperfeiçoamento da pesquisa clínica e fundamental, até que se percebeu a necessidade de criar um Instituto dedicado ao estudo das enfermidades neurológicas. A tentativa de aproximar a pesquisa – clínica e básica – da assistência ao paciente, foi o principal motivo para criar o Instituto do Cérebro na PUCRS. Esta associação é de extrema importância, pois a partir dela é possível desenvolver o conhecimento sobre as doenças neurológicas e comportamentais e refinar os padrões de assistência aos pacientes neurológicos.

O custo do Instituto é de 35 milhões e todos os aparelhos são de alta definição e de alta precisão. O diagnóstico de doenças, que antes demorava dias, será realizado em horas, com ajuda de profissionais qualificados e pesquisadores. As prováveis curas chegarão mais rápido. Existirá um envolvimento entre pesquisadores e a clínica. Segundo Iván Izquierdo a evolução acontece de forma mais acentuada quando existe essa interação. Assim, qualquer paciente, tanto particular como SUS, terá mais chances de tratar da sua doença.

Saiba mais sobre o projeto

O InsCer/RS tem como projeto o desenvolvimento gradativo, espera atender mais de 4 mil pacientes até inicio de 2013, aumentar o número de pesquisas e obtenção de resultados positivos em relação à cura. A Universidade pretende fazer com que as disciplinas de física nuclear e radiofarmácia participem dos projetos do Instituto, construindo, assim um centro de estudos. Abrir as porta para novos conhecimentos, criar um ambiente de crescimento são funções evidentes do Instituto do Cérebro. De acordo com um dos mentores do projeto, Jaderson Costa da Costa, “o Instituto é um núcleo com facilidades para que todos na Universidade o utilizem”.

Veja mais em 

Encontre um conteúdo do seu interesse

Utilize o campo abaixo para buscar por palavras-chave.

Pin It on Pinterest

Compartilhe!