Nós mulheres amamos estar sempre brilhando e qualquer ocasião se torna um argumento para usarmos brilhos, seja por meio do glitter, iluminador, sombra, etc. Em algumas épocas do ano há uma maior utilização dos glitters, como, por exemplo, no nosso querido Carnaval. Quanto mais glitter melhor! Não há regras, podemos abusar desse mascote.

O ruim do glitter, parte importante e que muita gente desconhece, é a poluição que ele causa. Não há uma maneira de retirá-lo, que não prejudique, de alguma maneira, o meio ambiente. Conhecemos meios que são menos prejudiciais, como, por exemplo, retirar o máximo que conseguir com lenço umedecido e o restante remover no banho ou na pia com sabonete. O que acontece quando lavamos e a água leva embora o restante é que ele vai para os oceanos e para os seres vivos que neles residem. Esses acabam consumindo, achando que é algum tipo de alimento para eles, e se prejudicam.

Com glitters encontrados no organismo dos nos nossos animais vivos e, muitas vezes, mortos, algumas pessoas vêm se sensibilizando e criando um novo tipo de glitter, que possa entrar em contato com a natureza de maneira não prejudicial, o Glitter Biodegradável. Uma dessas pessoas, que se conscientizou e ama a natureza, é a Priscila Machado, proprietária do @MaisGlitter, que compartilhou conosco um pouquinho desse novo mundo.

O principal objetivo da Priscila, ao iniciar a produção, não foi lucrar, mas conscientizar e fazer com que as pessoas comprassem uma nova idea. Em meio a isso, foram encontrados alguns desafios na hora da comunicação e, logo, na venda, principalmente em fazer com que as pessoas comprassem esse novo olhar, mais ecológico. O mais interessante deste produto é que ele é 100% comestível, pois é a base de latina, corante alimentício, e brilho, composto também de insumos alimentícios.

Após o período de festa, houve uma queda de 80% na procura e conversamos sobre a comunicação e divulgação. A @MaisGlitter conta, principalmente, com a sua conta no Instagram. Infelizmente não conseguiram ativar seu domínio a tempo das datas festivas, mas, além da mídia social que vem ganhando espaço no mundo empresarial, Priscila ainda contou com o aplicativo ELO7, na alta temporada do carnaval, e com parcerias, que visam ao cuidado com o meio ambiente e com a vida dos seres mais vulneráveis.