, , e

junho/2013 | Notícias

Mercado de trabalho em Relações Públicas

Foto: Arquivo pessoal – Rafael e Camila Stecklow

Quem não está preparado é o profissional ou são as organizações? O que fazer quando sair da Universidade? Onde trabalhar? Como criar oportunidades? São alguns dos problemas pertinentes no meio acadêmico em que convivemos. Mas, até onde isso é realmente um problema?

Segundo pesquisa realizada com professores da Faculdade de Comunicação Social da PUCRS, foram citadas mais de trinta áreas de atuação possíveis para um relações-públicas, logo, “o que fazer” não falta, a questão é outra, é o reconhecimento da função, a consciência da necessidade de um profissional de Relações Públicas em qualquer organização.

Mercado de trabalho: confira as sugestões dos professores da Famecos
.
1. Administração de Crises
2. Assessoria de Imprensa
3. Assessoria de RRPP
4. Assessoria de Comunicação
5. Assuntos Públicos
6. Auditoria de RRPP
7. Campanha de RRPP
8. Captação de Recursos
9. Cerimonial e Protocolo
10. Comunicação Ambiental
11. Comunicação Empresarial
12. Comunicação Institucional
13. Comunicação Mercadológica
14. Comunicação Organizacional
15. Consultoria de RRPP
16. Endomarketing
17. Eventos
18. Lobby
19. Marketing Cultural
20. Marketing Politico
21. Marketing Social
22. Negociação
23. Ouvidoria – Ombudsman
24. Pesquisa de Opinião
25. Porta-voz
26. Produção Cultural
27. Prospecção de Negócios
28. Relações com Acionistas
29. Relações com a Mídia
30. RRPP Institucionais
31. RRPP Internacionais

Camila Stecklow, empresaria formada em Relações Públicas na Famecos em 2005, afirma: “O mercado também esta carente de informações sobre o que realmente faz um relações-públicas, muitas das grandes empresas com as quais eu lido tem uma carência muito grande de profissionais desta área sem ter a menor ideia de que este é o seu maior problema. As empresas acreditam que o profissional de comunicação serve apenas para o setor de eventos e não se dão conta que outros setores como o planejamento, marketing etc, também precisam de bons profissionais da área. Por isso, acredito que o mercado está sim em ascensão, não para aquele profissional que sai da faculdade para ser só mais um, e sim para profissionais sérios que mostram a necessidade de estarem na organização, que fazem a diferença, independentemente do segmento que escolherem”. Além de todas as áreas que existem no currículo do curso, ainda há funções que não são específicas de um relações-públicas, mas que podem perfeitamente ser exercidas por um, devido ao conhecimento adquirido em sua formação.

Rafael Stecklow, formado junto com Camila, é representante comercial de produtos da construção civil, atuando em diversos países da América Latina. O contato direto com fornecedores, clientes, governo, faz sua formação ser de extrema importância no ambiente de trabalho. “Você precisa estar preparado para mudar sua forma de falar, escrever e se expressar, entender que existem diferentes públicos. Essa é a graça da profissão, o constante desafio”, diz Rafael.

Com o mercado em ascensão, o reconhecimento da função está aumentando a cada dia, não falta trabalho, não faltam oportunidades e, muito menos, caminhos e carreiras a seguir. Esse cenário aponta para a necessidade de estarmos prontos para enfrentar esse ambiente competitivo. Nós, relações-públicas, somos fundamentais no meio corporativo, político e em outros mercados.

Fonte: https://www.metodista.br/revistas/revistas-metodista/index.php/AUM/article/viewFile/1017/1062

Veja mais em 

Instagram: do 0 ao boom!

Instagram: do 0 ao boom!

Ter sucesso no Instagram é o desejo de muitas marcas, empresas e pessoas. Para isso acontecer...

Encontre um conteúdo do seu interesse

Utilize o campo abaixo para buscar por palavras-chave.

Pin It on Pinterest

Compartilhe!