e

novembro/2008 | Entrevistas

Isabel Reis: 15 anos de trabalho na GERDAU como RP

Isabel Reis é relações-públicas e trabalha há quinze anos na Gerdau. Trabalhou com a coordenação de eventos durante treze anos, e há dois anos, trabalha com a responsabilidade social. É formada na Unisinos, e foi com a experiência que teve no governo, em 1993, com a coordenação de eventos, que ela identificou-se com a profissão.

Sobre a profissão no Brasil, Isabel acha que cresceu muito em relação ao passado. Antigamente as pessoas não conheciam a profissão e suas atividades, porém, nos últimos 10 anos houve um crescimento significativo. Seu trabalho de conclusão foi exatamente sobre a expansão da profissão. Citou que várias pesquisas mostram que cada vez mais as empresas de pequeno e médio porte estão procurando obter resultados com eventos e usando o profissional de RRPP como centro de estratégico nas organizações. Antes, a profissão resumia-se em entrega de folhetos e outras coisas pejorativas, agora tudo está mais valorizado, os RRPP são convidados a concorrerem prêmios, participar de eventos, receberem homenagens, etc. O mercado já consegue enxergar o profissional como uma forte ligação ao planejamento e com os stakeholders.

Como área expressiva na atualidade, Isabel cita a área de eventos, a área onde se trabalha com a imagem corporativa, a área da responsabilidade social e o trabalho com o produto interno. Perguntamos a ela sobre o valor da profissão no exterior e ela nos respondeu que as RRPP são muito valorizadas, principalmente nos EUA e na Europa. A globalização também ajudou o Brasil na valorização das RRPP.

Reis ressalta também o quanto é válido para um profissional da área a realização de uma pós-graduação ou mestrado no exterior, mas o que realmente vale é a evolução do próprio profissional, por si. Ela incentiva sua filha, estudante da PUCRS de RRPP, a sempre evoluir, usar a internet como meio de aprendizado e ferramenta; que não estacione somente nas aulas da faculdade – mas também no interesse em novidades, como artigos, leituras e livros técnicos que falem da profissão. “O que temos hoje não se compara com o escasso material de alguns anos atrás”, diz Isabel.

Ela acha que a profissão esta crescendo, porém depende unicamente dos profissionais estarem se capacitando para terem condições de atuar no mercado e exercer bem a profissão. Além disso, é muito importante trabalhar com a ética, pois todo cuidado é pouco ao lidar com os públicos e o com o mercado.

A remuneração na área da comunicação, de um modo geral, não é das melhores do mercado. Contudo, há possibilidade de se ter bons ganhos, como nos casos da carreira empreendedora, onde pode-se ter um escritório e trabalhar como RRPP prestando consultorias para médias e pequenas empresas em casos com diagnósticos, ou em uma grande empresa, como a Gerdau, que tem boa remuneração e boas condições de trabalho e infra-estrutura. “Para ganhar um bom salário Não se pode ser medíocre”, diz ela. Ser um profissional dedicado e falar ao menos mais duas línguas é o caminho, assim como estar sempre atualizado, ir a congressos, participar de tudo relacionado com a profissão. Muitas vezes não nos é útil o conteúdo de um evento, mas somente pelo fato de participar já vivenciamos experiências de como as coisas foram organizadas, o que foi usado, de que maneira o coffee-break foi servido, como e o contato com os convidados, etc. “Aprende-se como fazer e como não fazer um bom evento com as experiências vividas”. Muito importante também é falar e escrever bem, pois no momento em que temos que fazer um diagnóstico ou divulgar um projeto, devemos saber usar bem as palavras.

Isabel teve casos interessantes tanto na área de eventos, quanto na área da responsabilidade social. Com eventos, ela cita a produção da Comemoração do Centenário da Gerdau por ela coordenada. Os eventos foram realizados ao longo de 2001, na América Latina e no Brasil, com mais de 4 mil participantes em cada um das diversas programações. Considera um case completo e com bons resultados. Com a responsabilidade social, ela coordenou a Copa Gerdau da Responsabilidade Social, tendo como uma das finalidades identificar os interesses de seus funcionários. Ganhou vários prêmios dentro da empresa e alguns fora também. Apesar de atuar na área da Responsabilidade Social atualmente, sua preferência é pela Coordenação de Eventos.

Perguntamos sobre as Teorias das RRPP e ela considera-as muito importantes. Lia bastante Simões e Margarida Kunsch. Ressaltou que depois do termino da faculdade, percebeu na prática o que lia nos livros de teoria.

Veja mais em 

Encontre um conteúdo do seu interesse

Utilize o campo abaixo para buscar por palavras-chave.

Pin It on Pinterest

Compartilhe!