julho/2014 | Entrevistas

A trajetória de um relações-públicas na política

Iuri Camargo, 26 anos, é graduado em Relações Públicas pela PUCRS, mestrando em Design Estratégico pela Unisinos e chefe de gabinete do vice-prefeito de Viamão. Desde os tempos em que era aluno do curso de Relações Públicas, já se destacava no meio político. Trabalha nesse ramo desde 2007. Os professores da Famecos lembram-se dele como uma referência positiva sobre o assunto política. Ele explica um pouco sobre essa paixão que tem pela área, como e quando começou a carreira. Fala também como consegue encaixar a atividade de RP no ramo político.

Ao ser questionado como surgiu o interesse dele pela política, ele responde: “Meu envolvimento de militância começou em 2006, na campanha presidencial. Entendi que o Brasil estava entrado em um ciclo perigoso, onde as denúncias do mensalão e de desvios de verbas tomavam conta dos noticiários. Naquela época, o início das redes sociais era o grande boom tecnológico e, mesmo adolescente, entendi que não bastava reclamar na frente de um computador. Portanto, procurei um partido político que pudesse me ouvir, que fosse reconhecido socialmente e que tivesse um bom trabalho na sociedade. Estávamos no último ano do governo de Germano Rigotto e o Rio Grande do Sul prosperava. Ele, como governador, criou lastros econômicos e estratégicos que garantiram desenvolvimento para o nosso Estado. Neste cenário, vi no PMDB um partido que me compreendia e que conseguia absorver os meus anseios.”

Iuri fala um pouco sobre a história dele, qual o caminho que vem percorrendo desde 2007, nessa área que, para ele, é apaixonante. “Em 2007, recebi o convite para estágio de nível superior na Secretaria de Estado de Habitação, Saneamento e Desenvolvimento Urbano, ao lado do secretário Marco Alba. Em 2009, fui convidado a assumir como assessor de comunicação, onde eu realizava o planejamento e a organização de eventos, apresentações e relação com a agência de publicidade. Em 2010, com o retorno do secretário para a Assembleia Legislativa, onde era parlamentar e concorreria à reeleição, fui convidado pelo seu sucessor para coordenar a Assessoria de Comunicação. Com o fim do governo Yeda Crussius (2007/2010) e o deputado Marco Alba reeleito, parti rumo ao parlamento estadual, onde percorri o estado na assessoria de comunicação e relacionamento com as comunidades. Neste período, fiz parte de duas executivas estaduais da JPMDB e atualmente, sou membro do diretório nacional da juventude do partido. Em 2012, nas eleições municipais, o PMDB foi destaque no Rio Grande do Sul, garantindo mais de 150 prefeituras. Na região metropolitana fez diversos prefeitos e vice-prefeitos, dentre eles o de Viamão, André Pacheco, que me convidou para assumir o comando do seu gabinete. Hoje, André é o responsável pela coordenação das grandes obras que Viamão vem realizando e pela relação com os diversos órgãos da municipalidade e as comunidades.”

Ele destaca a importância de ser formado em Relações Públicas, o quanto a profissão contribui no trabalho dele. “Nestes cenários que citei acima, na minha trajetória pela política, os conhecimentos da área de Relações Públicas têm sido fundamentais, pois, trabalhar o relacionamento da prefeitura de Viamão com a Câmara de Vereadores, associações de classe, órgãos de Estado, associações comunitárias e com a própria população tem sido um caminho menos tortuoso.”

Iuri destaca que um dos sonhos dele é que os jovens se envolvam com a política, tenham interesse em participar, serem ouvintes e ativos, para que possam assim compreender um pouco do que se passa ao redor, de como são as reais situações.

O chefe de gabinete encerra a entrevista falando sobre esse futuro envolvendo os jovens e fazendo um convite para que participem da política. “Platão já dizia: ‘A desgraça de quem não gosta de política é ser governado por quem gosta’. E vejo que muitos do que estão hoje nos grandes cargos vêm de um modelo político que não vale mais. Um modelo corrompido. Por isso, entendo a participação do jovem na política como o futuro das decisões. Tenho certeza que o jovem de hoje vê o seu município, o Estado e o país com olhos de construção e que a sua capacidade de discernimento é muito maior do que de gerações futuras. Hoje, temos a tecnologia da informação, o que nos torna fortes na mobilização e na união de esforços em prol de uma sociedade mais justa e com interesses voltados à população. Com isso, convido os jovens a participarem da política. A se informarem sobre o que acontece no Brasil ou na sua cidade. A participação nas discussões é o diferencial para a transformação social e quem quer viver em uma sociedade igualitária deve lutar por isso. A democracia está ai para ser exercida.”

Veja mais em 

Encontre um conteúdo do seu interesse

Utilize o campo abaixo para buscar por palavras-chave.

Pin It on Pinterest

Compartilhe!